Postagens populares

Google+ Followers

terça-feira, 29 de maio de 2007

Diariamente - Marisa Monte/Composição: Nando Reis

Para calar a boca: rícino
Pra lavar a roupa: omo
Para viagem longa: jato
Para difíceis contas: calculadora

Para o pneu na lona: jacaré
Para a pantalona: nesga
Para pular a onda: litoral
Para o lápis ter ponta: apontador

Para o pará e o amazonas: látex
Para parar na pamplona: assis
Para trazer à tona: homem-rã
Para a melhor azeitona: ibéria

Para o presente da noiva: marzipã
Para adidas: o conga nacional
Para o outono: a folha, exclusão
Para embaixo da sombra: guarda-sol

Para todas as coisas: dicionário
Para que fiquem prontas: paciência
Para dormir a fronha: madrigal
Para brincar na gangorra: dois

Para fazer uma toca: bobs
Para beber uma coca: drops
Para ferver uma sopa: graus
Para a luz lá na roça: duzentos e vinte volts

Para vigias em ronda: café
Para limpar a lousa: apagador
Para o beijo da moça: paladar
Para uma voz muito rouca: hortelã

Para a cor roxa: ataúde
Para a galocha: verlon
Para ser moda: melancia
Para abrir a rosa: temporada

Para aumentar a vitrola: sábado
Para a cama de mola: hóspede
Para trancar bem a porta: cadeado
Para que serve a calota: volkswagen

Para quem não acorda: balde
Para a letra torta: pauta
Para parecer mais nova: avon
Para os dias de prova: amnésia

Pra estourar pipoca: barulho
Para quem se afoga: isopor
Para levar na escola: condução
Para os dias de folga: namorado

Para o automóvel que capota: guincho
Para fechar uma aposta: paraninfo
Para quem se comporta: brinde
Para a mulher que aborta: repouso

Para saber a resposta: vide-o-verso
Para escolher a compota: jundiaí
Para a menina que engorda: hipofagi
Para a comida das orcas: krill

Para o telefone que toca
Para a água lá na poça
Para a mesa que vai ser posta
Para você o que você gosta
Diariamente


Esta música lembra tanto a profissão que escolhi pra ser qdo crescer...hahahaha...
Olha só, fala de um monte de coisas e o nome dela é DIARIAMENTE, e na vida cotidiana do publicitário tem tanta coisa nova e é preciso conhecer de tudo um pouco...é fascinante né! Viva os publicitários! :):) hahaha...

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Lágrima Salgada

Lágrima é um tempero
O sal da lágrima conserva o momento
Quando choro me destempero
Quando estou para o riso é o temperamento

sexta-feira, 25 de maio de 2007

O TEATRO MÁGICO

É muito amor que tiro destas músicas e tenho prazer em dividir o meu prazer com vc!
http://www.oteatromagico.mus.br/

Cuida de Mim - Composição Fernando Anitelli - TM

Pra falar verdade, às vezes minto
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer as vezes que as vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
Tanto faz não satisfaz o que preciso
Além do mais quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou, você pra mim mostrou
Que eu não sou sozinha nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não esqueço de voce
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de você
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto fujo.

Basta as penas que eu mesmo sinto de mim
Junto todas crio asas viro querubim
Sou da cor do tom, sabor e som que quiser ouvir
Sou calor, clarão e escuridão que te faz dormir
Quero mais, quero a paz que me prometeu
Volto atras se voltar atras assim como eu.

Busquei quem sou
Você pra mim mostrou
Que eu não estou sozinho nesse mundo.

Cuida de mim enquanto não esqueço de voce
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
Cuida de mim enquanto não me esqueço de voce
Cuida de mim enquanto finjo, enquanto fujo.

quarta-feira, 23 de maio de 2007

primeiro capítulo: O dentista e a paciente muito paciente...

Tem coisa mais esquisita do que dentista falar com a paciente (nome muito propício) enquanto ela está com a boca escancarada e não pode responder?

Hoje tive a primeira etapa da longa jornada – colocar o aparelho – Meio velhusca já, vou começar a arrumar a bagunça da minha boca e comecei com uma “puta” anestesia que me custou caro! Achei até divertido a princípio aquela sensação de estar tocando outro rosto no seu próprio rosto, fiquei com medo de morder a língua e acabei mordendo no sentido de que minha alegria acabou quando a dor começou a substituir a dormência...coisa chata! Em pensar que muitas dessas virão...agora estou eu aqui parecendo ninja de sessão da tarde enrolada num cachecol pra aliviar a dor da maldita anestesia....além de tudo tive o desprazer de ver fotos desagradáveis de dentes assustadores no computador do dentista, ele tentava me explicar os detalhes do meu caso e mostrava aquilo tudo e falava em sua “língua estranha” e eu fazia minha melhor cara de paisagem fingindo compreender, até questionava pra mostrar como estava interessada, afinal é meu dinheiro em jogo! Agora é esperar os próximos capítulos e preparar os analgésicos pós visitas ao dentista...
E viva o sorriso "comgrade"...:):)

terça-feira, 22 de maio de 2007

Semana de pato!

Esta semana me senti meio pato e a música veio a calhar. Conversando com o meu amigo André surgiu esta música... e resolvi postar pra mostrar minha "patatice" desta semana! Muitos textos vieram inteiros na minha cabeça e como ando com a mania de deixar pra amanhã fui deixando pra escrever depois...onde já se viu deixar a inspiração passar assim!

Pato é um bicho que não nada direito, não voa direito e não anda direito...eu esta semana!

Aliás, uma das coisas mais estranhas de tudo isso é que ia falar do Vinicius de Moraes esta semana, domingo no canal Brasil vi mais uma vez o documentário com a Camila Morgado e o Ricardo Blat com direção de Miguel Faria Jr. Muita música, poesia e depoimentos...maravilhoso! Vale a pena!

Então me aparece esta música, O PATO e de quem? Vinicius! Tu vê! Se eu não acabar na panela tá tudo certo!

O Pato
Composição: Vinicius de Moraes / Toquinho / Paulo Soledade

Lá vem o pato
Pata aqui, pata acolá
Lá vem o pato
Para ver o que é que há
O pato pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo
Comeu um pedaço
De genipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi pra panela

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Abstração

Não sou a favor de gente que é feliz o tempo todo. Acho estranho quem nunca chora. Surpreendo-me com pessoas que levam tudo na esportiva. Afinal o que é levar tudo na esportiva? Deve ser jogar tudo pro alto!
Sim, sim... a melancolia pode ser muito produtiva, dá até pra dizer para os amigos que vai pra casa curtir sua melancolia! Ok! Mas as coisas que são curtidas pegam gosto, ficam mais saborosas e não podres, então pegue uma música empoeirada e cante, leia uns textos bem depressivos e diga que tem tudo a ver com você.
Escreve umas palavras na folha branca do Word, qualquer coisa só pra registrar seu momento, é SEU momento, você e você, choramingando, choreeee e muito, se não a graça acaba.

Abra suas gavetas de fotos, se tiver a ver com o motivo da tristeza melhor ainda, procure as mais felizes, as mais engraçadas, vai lá e aumenta a música, sim o cantor sabia exatamente que você estaria triste neste dia e escolheu palavra por palavra pra dizer o quanto você é medíocre, que está muito sozinho, ninguém te ama, ninguém te quer, o mundo ta acabando, a vida é uma droga....AAAAAAAAAAAAAA......se der pra gritar é bom! Levantou e deu de cara com o espelho, as fotos ficam ali no chão mesmo....nossa que espinha medonha, o olho parece que vai saltar de tão vermelho.
Chega mais perto, a espinha pede pra ser espremida....ui, éca! Deu cede, corre lá na cozinha e pega uma água, dá dois goles....passa pelo banheiro e lava o rosto....água fresca...desliga a música...
Mande recados melosos para os amigos, principalmente aqueles que você era amiga quando criança, algo que faça você acreditar que surpreenderá alguém. Mande muitos recados inspirados, cheios de mel, demonstre ao mundo sua carência....vai fundo! Tente colocar coisas que só vocês viveram, tipo: lembra de quando riamos indo pra escola e você usava aquele tênis azul desbotado, coisas assim ajudam a comover mais, pelo menos faz você acreditar nisso! Vê fotos de seus amigos, com filhos já, fale dos filhos deles, que são fofos, grandes, sapecas, qualquer coisa...agora coma alguma coisa, de preferência doce, faz um brigadeiro, pra comer de colher...hummm
Liga a TV, vê um filme pela metade e devora o brigadeiro....fica ali até acabar o filme que você nem sabe o nome, aliás é um bom filme, entra na internet pra ver o nome do filme, coloca algumas palavras chave no “Gugle” pai dos burros e descobre, que decepção! Este nome não diz nada, o filme era melhor sem nome...Agora escova os dentinhos...na TV passa um clipe de uma musica animadinha, você sacoleja pra lá e pra cá...canta com a boca cheia de espuma...aiai...vai pra cama e fica tentando chorar pelo motivo que chorou no começo, mas na verdade tá é decepcionada com o nome do filme e fica tentando imaginar nomes muito melhores....
boa noite!

Um dia mandei este texto pra uma amiga que tava meio tristonha...não faz muito tempo! Bjus pra ela...:):) Aliás, bjoCA!

Extremo

Todas as partes iguais
Um tudo no nada
Entende o que eu digo
Mas a extremidade te apaga

Somos muitas coisas
Porque querer ser uma só?
O novo é a corda
O velho o nó

E digo, um tudo no nada?
Melhor ser um pouco da parte
Tenha fé, tenha amor
Mas também faça arte

Extremo é um canto superior
Acredita no seu lado
Não vê o meio
Então não precisa ter cuidado
E nem vida.


Texto feito dia 25 de setembro 2006.

terça-feira, 15 de maio de 2007

Pra dar uma força!

Pra você que assim como eu muitas vezes não entende o que algumas pessoas escrevem em seu fotolog, orkut, msn..etc...etc...Seus problemas acabaram! Chegou o revolucionário dicionário Emo...traduz tudinho pra vc e ainda te possibilita transformar frases normais em frases totalmente "emotizadas"
Usem e abusem! :) Bjim

Abaixo este texto de cima transformado pra vc ter uma idéia e pra todo mundo entender..:):) hahaha...

http://mundofw.net/geraemo/dialetoemo.php

prAa vöOcê KeE AaxXxXxXxXIim cöOmöO eEeEöOöO muUIitAaxXxX veEXXeExXxX nAauUmm eEnteEndeE öO KeE AalguUmAaxXxX peExXxXxXxXöOAaxXxX eExXxXcreEveEm eEm xXxXeEeEöOöO fFöOtöOlöOg, öOrkuUt, mxXxXn..eEtc...eEtc...xXxXeEeEöOöOxXxX pröObleEmAaxXxX AacAabAarAam! cheEgöOuU öO reEvöOluUcIiöOnárIiöO dIicIiöOnárIiöO eEmöO...trAaduUXX tuUdIinhöO prAa vc eE AaIindAa teE pöOxXxXxXxXIibIilIitAa trAanxXxXfFöOrmAar fFrAaxXxXeExXxX nöOrmAaIixXxX eEm fFrAaxXxXeExXxX töOtAalmeEnteE "eEmöOtIiXXAadAaxXxX" uUxXxXeEm eE AabuUxXxXeEm! :) bjIim

CONHECIMENTO QUE FAZ O TANTO FAZ, FAZER

Tanto faz a cor que você usa.
Aí você passa a usá-la porque é a que mais combina com sua pele
ou simplesmente porque demonstra seu estado de espírito.
O motivo é a explicação de tudo, é o motivo que faz o tanto faz, fazer.

Tanto faz rir ou chorar.
Até o dia em que descobre que emoções devem ser contidas ou mostradas
e que vestir a camisa verde é um motivo para te mostrar tranqüilo.
A razão é a explicação de tudo, é a razão que faz o tanto faz, fazer.

Tanto faz dormir três, cinco ou oito horas por noite,
E na TV diz que dormir faz bem, mas que algumas pessoas dormem menos.
Com sua camisa verde chora de tanto rir por uma razão conveniente.
A ciência é a explicação de tudo, é a ciência que faz o tanto faz, fazer.

Tanto faz você ter amigos ou viver sozinho.
Falta dinheiro no seu bolso e alguém te oferece ajuda.
Camisa verde, choro e riso, Deita na cama e dormi as horas provadas pela ciência.
A necessidade é a explicação de tudo, a necessidade que faz o tanto faz, fazer.

Tanto faz usar frases prontas.
Até ouvir uma risada debochada.
Camisa verde, choro e riso, dormi horas certas, um amigo te defende porque sentiu necessidade.
A oportunidade é a explicação de tudo, é a oportunidade que faz o tanto faz, fazer.

Tanto faz ler e assistir um filme
Você sente-se à vontade diante de conversas interessantes.
Camisa verde, choro e riso, dormi horas certas, amigos, e a oportunidade.
O conhecimento é a explicação de tudo, é o conhecimento que faz o tanto faz, fazer.

A manhã normal de cada dia.

Este texto escrevi faz tempo, ano passado acho...era uma época bem corrida! É meio grandinho, mas é engraçadinho! Lá vai então! bjus pra quem vier aqui..comenta né! :):)

Antes quero expressar minha indignação, alguém fez algo com meu texto...tiraram alguns pedaços, não sei como, mas sumiu...que raiva...dei umas remendadas só que não ficou a mesma coisa...tive que postar denovo...tô puta da vida! Vou postar de teimosa.


Acordei com um grande bocejo, estiquei os braços, levantei colocando o pé no chão, o esquerdo depois o direito, meus chinelos que sempre estão na beira da cama aguardando para serem calçados não estavam desta vez. Tudo bem, fui descalço mesmo, quando levantei pisei na ponta do lençol que arrastava no chão, e tropecei em algo que se escondia por “debaixo dos panos”, advinha, os chinelos. Fiquei contente em poder enfim não andar com os pés nus no chão gelado, mesmo tendo batido com o cotovelo na beira da cama. Sabe aqueles choquinhos angustiantes que dá quando isso acontece, pois é, mas esqueci logo e fui até o banheiro. Pena que eu esqueci de avisar a mim mesma que acabou a pasta de dente, sorte que tenho uma técnica especial pra retirar os últimos vestígios do creme dental de um tubo aparentemente vazio. O primeiro passo é pegar a pasta com jeito, colocá-la em cima da pia e ir dobrando a parte contrária à abertura da mesma, dobrando em dobras pequenas, para que a pasta escondida no fundo venha subindo com as dobras, o segundo é ir seguindo até chegar lá em cima, quando a embalagem parecer um rocambole não deixe ela se desenrolar, segure firme, geralmente tem um vestígio de pasta seca na abertura que atrapalha tudo, mas com o dedo mindinho ou com a ponta do pente sempre se resolve este problema, mas não esqueça de não soltar a parte enrolada, se não terá que fazer tudo de novo. Depois de conseguir tirar a gota de pasta que com custo coloquei em cima da escova, comecei a escovar. Movimentos aprendidos na escola primária e com toda calma porque precisava valorizar o fato de ter acordado mais cedo. Cantarolei algumas músicas misturadas, assim que peguei a escova de cabelos à mesma que no momento servia de microfone. Meu cabelo estava um tanto desequilibrado esta manhã. Não sei se foi a chuva da noite anterior, mas como eu já tinha enrolado tanto, meu horário já tinha passado de cedo para atrasado.
Pensei nas possibilidades, olhei para um creme que estava no armário há alguns meses, lembrei da simpática mocinha da loja de cosmético que me disse que este produto era milagroso, e como eu precisava de um milagre, ele era perfeito. E depois de uma pasta de dentes vazia um creme cheinho pra desfrutar. Com gosto espremi a salvação do meu cabelo nas mãos, mas quem esqueceu a tampa aberta? Espalhou pela pia inteira e pelo tapete também. Mas tudo bem, o importante é que eu ainda estou de pijama, minha roupa continua lá na minha gaveta bagunçada me esperando, amassada, porém longe do creme milagroso. A toalha que tava pendurada serviu muito bem pra limpar os excessos de creme espalhados pelo banheiro e ainda suportou limpar boa parte do meu pijama, mas meu cabelo continuou assim, sem saber o que fazer, então com o sexto sentido que tenho, muito aguçado, pensei que se tinha acontecido aquilo com o creme era porque ele não era pra ser usado. Suspeitei daquela vendedora da loja de cosmético desde o princípio.
Um prendedor de cabelo sempre ameniza a situação, apelei para meu porta-trecos, encontrei vários trecos úteis, tic-tacs de coração, de estrela, de joaninha, etc...Nem lembrava mais destas coisas...Escolhi o mais discreto (cor de rosa e uma estrela branca na ponta) pra prender minha franja que estava realmente rebelde esta manhã, o resto do cabelo já estava enrolado na piranha branca que tinha uns dentes quebrados, mas que “segurava as pontas” direitinho.
Um bocejo perdido teve a cara de pau de invadir meu rosto novamente, sabia que não deveria ter ficado vendo a minissérie da Globo até tarde, elas afetam meu bem estar pela manhã entre outros malefícios.
O pijama ficou no banheiro e eu corri pra fazer meus dez minutos restantes se transformarem em meia hora, fui na gaveta abri rápido e as cobertas que estavam, apoiadas umas nas outras despencaram sobre minha cabeça - que elas fiquem no chão - foi o que pensei para as insistentes cobertas que sempre cismavam em cair. Minhas blusas amarrotadas cuidadosamente desarrumadas na gaveta, não tinham graça nenhuma naquele momento, a branca não, a verde não, a rosa nem pensar me lembra este tic-tac de estrela, muita combinação pra uma pessoa no mesmo dia. Aliás, que blusa eu poderia escolher se meu ferro de passar tinha queimado, lembrei da minha mãe que sempre passava todas as roupas antes de guardá-las no guarda-roupa, mas do que adiantaria, se as gavetas amassam as roupas novamente, seria uma luta em vão. Achei lá no fundo da gaveta de pijamas uma blusinha branca, daquelas que combina com qualquer jeans desbotado, é ela mesmo, a escolhida a querida blusa que eu nunca dei bola e que jamais amassa. Coloquei as pressas e corri pra aproveitar os seis minutos restantes. Agora o pé, aquele que tava no chinelo encontrado de mau jeito ao levantar. Tênis, sandália, sapato...Fui até a sacada pra verificar o tempo, assim minha decisão seria mais inteligente. Chuva, tênis sem dúvidas. Agora ficou fácil é só pegar as coisas que preciso levar para o trabalho. Celular na bolsa, agenda...Onde foi parar a agenda? Será que está em baixo do lençol também, ou quem sabe no fundo de alguma gaveta. Continuei desesperadamente procurando, mais dois minutos se passaram e lembrei que eu tinha esquecido no trabalho. Ótimo, menos algo pra carregar.
O lixo estava um tanto suspeito, achei melhor levá-lo para baixo, já que estava com as mãos mais livres. Cantarolei mais algumas músicas misturadas, agora ainda mais misturadas, porque a correria facilitou. Quando falo música misturada, quero dizer pedaços soltos de músicas diferentes, e pra piorar os ritmos são diferentes também. Faço isso desde pequenina, no chuveiro principalmente. A manhã seguia normalmente, e eu me preparava pra descer, com a chave numa mão o lixo e a bolsa na outra. O Jornal tava lá, na porta, esperando pra ficar na pilha dos outros não lidos dos dias anteriores....Quando fechei vi que alguém do meu andar estava entrando no elevador, gritei para que me esperasse, afinal o elevador é bem disputado nesta hora da manhã! Saí correndo e agradeci o vizinho, era um dos muitos jogadores de futebol que vira e mexe se mudam pro meu andar, para o apartamento do lado pra ser bem precisa...nem comento as festas que rolam e os furdunços que escuto...
O lixo eu larguei as pressas em cima dos outros que transbordavam na lixeira do prédio. E quando abri a porta vi aquela chuva e lembrei: O guarda-chuva! Ai, esqueci! Ta aí um objeto estranho, sofre um tipo de carência aguda obsessiva o guarda-chuva, faz questão de ser esquecido só pra causar mal estar e tristeza no seus donos, mas eu não caiu nessa! Vai ficar preso no armário de castigo só de raiva! Não tem jeito a água desaba do céu, me obriguei a deixar o castigo pra depois...subi pela escada mesmo e abri a porta as pressas, cozinha-armário-GUARDA-CHUVA-cozinha-porta-elevador-porta-chuva.
Agora a pergunta era: o celular? Devo olhar o quanto estou atrasada? Não, mudei logo de idéia, pois os objetos se uniram num complô contra mim hoje. Deixa assim - corre que dá tempo!
A chuva molhava tudo, bolsa, tênis meia, calça e a blusa branca...Mas continuei correndo...
Na metade do caminho senti que estava suando em partes e molhada da chuva em outras...Mas com certeza não sabia mais distinguir o que era o que. Cada pisada que eu dava sentia o molhado da minha meia e o barulhinho que faz quando se está com o tênis cheio d’água. Socorro! Tenho problemas com barulhinhos inconvenientes, eles dão arrepio, pode parecer frescura, mas acontece.
Chegando no trabalho corri para o banheiro pra tentar amenizar o estrago, não sou muito derretida, mas a situação não era boa...dei de cara com a colega de trabalho que também não teve um bom contato com a chuva hoje...as duas ensopadas comentavam o caso e se preparavam pra encarar o ar condicionado gelado do patrão que fica na mesma sala.
Acho que será um longo dia, eu trabalhando toda molhada congelando... Ainda bem que penso sempre pelo lado positivo, meus dias não são monótonos...Ah! Isso não são!

quinta-feira, 10 de maio de 2007

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Era uma vez no planeta água onde tinha terra...

Sábado na madruga, "Altas Horas", estava eu vendo o programa e entre um "volta já" e outro, foi um cara falar de Aquecimento Global e tals...Pô, a gente fica meio apavorado assistindo estas coisas, mas tem tanta desgraça acontecendo que amortece e banaliza. Teve uma coisa que o fulano de tal disse que me chamou atenção, ele falou que tudo que fizermos agora pra preservar e amenizar o aquecimento global não adiantará pra gente, somente para nossos descendentes e tals...e diz ele que taí o grau de dificuldade da coisa, hoje em dia um mundo cheio de gente querendo ter vantagem, e ainda vantagem rápida, é a lei do: "te faço isso, vc me dá aquilo", como convencer um povo a retroceder? A pensar no próximo, ainda mais num próximo que nem nasceu! Difícil mesmo! Nem o Papa pra dar jeito! ;)

É como diz a propaganda "O que você vai contar para os seus netos?" e talvez eles respondam - Pô! Vô e vó vcs aprontavam mesmo ein! - Mas não espere isso em tom de admiração!

segunda-feira, 7 de maio de 2007

Dai em: estado febril...

Hoje depois de um dia todo deitada com tremores de frio e toda ruim vou dizer, é foda viu! Uix, a gente assim toda ferrada pensa em tudo, aliás pensa em coisa que nem devia pensar, dá uma dózinha né! Vc alí deitada, vai pensar em coisa boa como? Neste estado! É difícil! Um desânimo que não vai embora..olha ao redor ninguém, mas tudo bem, eu cuido de mim mesma mais uma vez, sou vaso que não quebra fácil! Pra frente e avante...chega de carência babaca que não combina mais com meus 24 anos...Tomei uma aspirina bateu um suador e credu, novinha em folha! Quase pelo menos...Então hoje sem frase de efeito e nem pensamento profundo eu vou é voltar pro meu edredom...até! ;)

sábado, 5 de maio de 2007

Os ângulos da bobagem

Festa da sala de Publicidade e Propaganda, a MINHA...uebaaaaaaaaa...

Lindos amigos, muitos tragos e alegria. Bobagens ditas de lá pra cá, de cá pra lá! Gente inteligente, querida e que sabe entender que bobagens são bobagens e que não precisa levar tudo a sério e nem colocar suas neuras nas bobagens dos outros, quer dizer, alguns colocam! Mas os que não entendem não são parte, são só resto, basta entender que resto é resto, deve estar no mesmo nível da bobagem que é bobagem porque cada um é cada um.


Bobagem é bobagem
E cada um é cada um
Se é resto, é o resto
Se parte , é a parte


Vem o cada um de cada um e se mete na parte da parte.
Colocando seu resto no resto e deixando o todo sem tudo.
Vai estragar sua importância e deixa o importante para os que importam vai!
Nem vem com cada um na sua cada que eu não entendo o que te faz ser só nada.
Vi gente muito mais do que via e deixei de ver quem merecia, mas mesmo assim foi tão bom ser bom para ter tanta gente boa assim!


A M O + IGOS = AMOIGOS ....fala rápido, fala rápido, fala rápido...Amoigos...amoigos...amoigos...depois de muitos anos aperfeiçoaram esta palavra e hoje chamamos de AMIGOS...sabia que vinha de AMOR só podia! hahahahaha...qta bobagem! Devo tá meio "animada" ainda, melhor não levar a sério..ata esqueci! Nem preciso falar isso, vc é parte e não resto! ;)

quinta-feira, 3 de maio de 2007

DESENHO COM PALAVRAS


Quando vejo alguém desenho com palavras
Não, não rabisco no papel
A imagem forma dentro da mente
Vai desenhando cada pedaço

Vejo a menina sentada no canto da sala de aula
Ela ri em casa, conta piada e toma banho demorado
Escova os cabelos cantando no microfone escova
Grita com o irmão mais novo?

Andei na rua e um rapaz apressado não pediu desculpas
Um esbarrão sem motivos
Bonito era, mas na certa lhe falta alguma coisa
Uma mulher fogosa
O amigo que pegou dinheiro e desapareceu
O banco fecharia e a conta estava estourada

No supermercado na fila do caixa
Quantos desenhos tive ali!
Era eu com meu lápis imaginário
Olhando cada rosto, cada objeto nos carrinhos
Nunca gostei de Supermercado
É culpa desta mania de desenho com palavras

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Errar é humano e corrigir é urgente...

Este texto postado ontem, da bailarina é uma música. Tirei um trecho, mas ela segue toda neste estilo. Acho bonitinha e bem significativa então coloquei, mas deveria ter dado os créditos aos autores né! Mané! Tão lá vai, o Chico só podia tá nessa tb!
Composição: Edu Lobo / Chico Buarque - música: Ciranda da Bailarina.

terça-feira, 1 de maio de 2007

Confessando bem
Todo mundo faz pecado
Logo assim que a missa termina
Todo mundo tem um primeiro namorado
Só a bailarina que não tem
Sujo atrás da orelha
Bigode de groselha
Calcinha um pouco velha
Ela não tem
O padre também
Pode até ficar vermelho
Se o vento levanta a batina
Reparando bem, todo mundo tem pentelho
Só a bailarina que não tem
Sala sem mobília
Goteira na vasilha
Problema na família
Quem não tem
Procurando bem
Todo mundo tem